O que é uma gramática inteligente?

O título me chamou a atenção e resolvi pedir para a Editora Contexto que enviasse para eu conhecer melhor. E este livro, escrito pelo linguista Lorenzo Vitral, está longe de ser um daqueles manuais superchatos que só aborda gramática normativa. Claro que a norma faz parte, mas aqui não é abordado de forma tradicional. Com uma linguagem superacessível, a obra traz muitos exemplos, exercícios no fim de cada capítulo e ilustrações. Pode ser usado em sala de aula e ainda auxilia na formação de professores, como é recomendado.

Além da gramática, aborda aspectos da fala e da cultura da nossa língua. O autor usa a expressão gramática mental, isto é, “todos temos uma habilidade natural, cognitiva ou mental para adquirir uma língua materna e é essa gramática mental que nos permite elaborar e os enunciados na interação com os falantes”.

“A defesa do português padrão não quer dizer que podemos desprezar a língua tal qual é falada pelos vários grupos sociais e regiões brasileiras. Pelo contrário! […] É importante valorizar as inovações, criadas principalmente pelos jovens, e também as palavras e as pronúncias usadas nas várias regiões brasileiras. […] As inovações da fala têm um papel importante na mudança e na evolução da língua. Sim, a língua muda!”, escreve o autor.

Afinal, o que é uma gramática inteligente?

A forma como o assunto é abordado já nos responde a pergunta, mas Vitral explica: devemos pensar sobre a gramática, em vez de decorá-la, até porque, quem decora, acaba esquecendo em algum momento. Então, ele propõe o pensar sobre a gramática. Ou seja, a melhor maneira de aprender gramática é refletir e compreender seu funcionamento e estrutura, como você pode conferir no livro. “Se nós agirmos assim, os nomes que explicam os fatos da língua entrarão em nossa cabeça de maneira natural”. E a obra não fica somente na teoria, o autor dá vários exemplos que corroboram a tese.

Assim, Vitral chama essa maneira de estudar a gramática de abordagem reflexiva da gramática. “É estudar a gramática tentando descobrir a ‘lógica’ por trás dela. A esperança é que, quando entendemos como ocorrem os fatos da língua e aprendemos a dar nomes a esses fatos, conseguiremos extrair dela as regras que explicam como ela funciona”.

A leitura está dividida em seis partes:

  1. O português e suas variações.
  2. O texto e a argumentação.
  3. As classes e o significado das palavras e das orações.
  4. A concordância entre as palavras.
  5. As funções e os papéis temáticos dos sintagmas
  6. Os lugares dos sintagmas na oração

Você encontra o livro no site da Contexto e nas principais lojas!

Até a próxima!

Leave a Reply